bloguinho da melissa

Thursday, September 28, 2006

Quando tinha aí uns quatro ou cinco anos, a minha mãe e todas as outras mães do infantário compraram o livro de cromos da turma da Mônica. Talvez fosse por ser algo made in Brazil, ou por não haver outros livros de cromo no mercado, mas a verdade é que todos nós o tínhamos. "Nós", salvo seja: Éramos mais chuchas e batatada no recreio, aquilo era um passatempo mais das mães do que outra coisa.
Não sei como era cá, mas no Brasil do início da década de 80 os cromos estavam longe de ser "distribuídos em quantidades iguais", como diz uma mensagenzinha que li num envelope da Panini outro dia. Havia uns bem difíceis.
Havia uns incrivelmente difíceis.

E havia a Maricotinha-Cara-de-Pipoca.

Não sei quem é a Maricotinha Cara-de-Pipoca, apenas me lembro que era da turma do Chico Bento. Procurei na net há pouco, não encontrei nenhuma ocorrência. A verdade é que também não havia quase nenhuma ocorrência da Maricotinha Cara-de-Pipoca nos envelopes de cromos. Andavam todas as mães do infantário à procura da dita cuja, mesmo na recta final da colecção. Estávamos todos penduradíssimos pelo raio do cromo. As progenitoras, essas, andavam cada vez mais ferozes, alertas, obstinadas.

E então, como num filme bom, o meu tio Lauro encontra o cromo. O mais engraçado é que, na altura, ele era um aborrescente de 14 ou 15 anos e não devia ligar a mínima à turma da Mônica. Ele devia ser mais... sei lá, não faço a menor ideia dos gostos do meu tio Lauro aos 15 anos, mas decerto não passava por bonecos. Sei que hoje é campeão de tiro e gosta de caçar. Mas adiante.

Eu não era a única sobrinha dele a fazer o álbum. A Sunny e a Luciana também andavam a fazê-lo. As três estavam penduradas pela Maricotinha Cara-de-Pipoca.

Mas, não sei porque carga d'água, o cromo veio para mim. Não faço a menor ideia do que terá a minha mãe lhe oferecido para que me desse a figurinha. Lembro-me, sim, de a minha mãe me puxar por um braço e saírmos as duas a correr para fora da casa da minha avó, feito criminosas desvairadas. Ao entrar no fusquinha, ela mostrou-me a Maricota e arrancou em disparada.

Não me lembro de ver o álbum completo. Não me lembro de mais nada além de a Sunny ter passado uns tempos com a burra amarrada e do ar triunfal da minha mãe no dia seguinte, quando me foi pôr ao infantário.

Bem, isto tudo para dizer que encontrei o álbum completo à venda no ebay. Por 75 reais!!! Gente, é um ABSURDO. Ou falsificaram o cromo da Maricotinha Cara-de-Pipoca ou a pessoa não faz a menor ideia do que tesouro que tem em mãos (Na verdade não deve ter, porque nem sequer sabe o ano da publicação do dito). Juro-vos, não conheço mais ninguém em Fortaleza que tenha completado o livro. E algum maluco sem noção o pôs à venda por 75 reais, míseros 25 eur. É de doidos.

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-46058473-album-turma-da-mnica-completo-_JM

Amanhã conto a história da minha colecção de livrinhos Taba.

Pois... este é que é o 1º post: depois de alguns 22 anos a escrever diários em cadernos que invariamente se perdem nas mudanças de casa, estado e país, decidi fazê-lo assim. Não será diferente. Claro que ninguém notará a semelhança, porque, fora os bisbilhoteiros da minha família, ninguém mais leu os caderninhos.

Pronto, é mais ou menos isso. Os meus dias em edição unabridged.

E agora vou trabalhar.

Frase que mais oiço ao telefone:

O Departamento está a verificar a Situação.

Hoje já a ouvi duas vezes, de duas mocinhas diferentes. Queria era o tal Departamento na minha vida. O Departamento que verifica as situações e depois nos dá o retorno com a solução. Espectáculo.